Sylvio Freitas

IMG_8136-2

Durante a Tattoo Week nós batemos um papo com um dos organizadores do evento, o tatuador Sylvio Freitas, do King Seven Tattoo e do MegaWartz Tattoo. Ele falou sobre a edição do evento este ano, a evolução do evento ao longo do tempo e também  sobre o crescimento da qualidade da tatuagem no Brasil.

Como você percebe a evolução da Tattoo Week que chegou à sexta edição este ano?

A cada ano o evento cresce e a tatuagem cresce junto. A cada edição a dedicação de cada expositor é maior, com estandes melhores e trabalhos melhores. e acho que o evento tem tudo para crescer ainda mais.

Na minha opinião, o primeiro evento, no Píer Mauá, foi o melhor de todos. Foi empreendedor, teve um empenho absurdo de todos os envolvidos. Não tínhamos patrocínio e fizemos tudo com nossos recursos. Apostamos na cidade, em uma convenção de tattoo que nunca tinha sido feita, com inúmeros shows, artistas de várias partes do mundo. teve muita emoção envolvida.

Como você vê o evento hoje?

Com a derrubada da Perimetral fomos forçados a sair do Píer e procurar um novo espaço. Por um lado foi bom, pois fomos para o modelo de Centro de Convenções, com mais infraestrutura e conforto para tatuadores e o público. Hoje a gente tem um evento mais enxuto e voltado para o tatuador. Acho que estamos com um tamanho ideal.

Como é ser referência?

Tem sempre dois lados, né? A cobrança é maior para o evento, mas também é bacana saber que estamos trazendo algo de positivo para a tattoo. A nossa proposta sempre foi abrir parcerias. Um exemplo é o resultado da premiação dos melhores trabalhos na convenção, que nunca foi em dinheiro, e sim, em participação dos vencedores em convenções no exterior. Isso permitiu que outros eventos no mundo também fizessem esse tipo de intercambio.

O sucesso da Tattoo Week ajuda a melhorar outros eventos?

Claro. Antes, muitos eventos eram feitos em quadras de futebol, sem condições para o público e tatuadores. Hoje não tem como. Um exemplo de evento de sucesso pelo país é a convenção de Joinville. Só assim você eleva o nível da tatuagem.

Qual a sua opinião sobre a evolução dos tatuadores brasileiros?

O tatuador evoluiu muito, principalmente com a internet. Acho que hoje acabou a diferença de tatuadores de outros países. Com o acesso a material de qualidade e mais referências, a evolução dos trabalhos foi algo natural e só tende a crescer.

 

Para encerrar, teremos Tattoo Week no próximo ano?

Claro! O evento está confirmado para 2019 e se tudo der certo ainda vai ficar muito tempo no calendário do Rio de Janeiro.

« Voltar

Deixe um Comentário